superação

Hoje eu quero compartilhar com vocês uma história triste e como eu saí dela.

Minha mãe veio morar na minha casa em 2007, com 85 anos e em julho de 2015 ela teve uma trombose no pé direito, mas minha mãe era muito ativa e lúcida, detestava hospital e ao ver que seu caso era de amputação, me disse que não queria perder sua perna com 93 anos de vida, que se fosse sua hora ela queria ir com todos os seus membros.

Isto me chocou profundamente e então decidi que ia fazer sua vontade e que ela teria todo o amor e carinho enquanto estivesse comigo. Nem precisaria dizer que a dor foi nossa companheira por dois longos meses, que o choro, a desolação misturadas com uma ponta de esperança se fizessem constantes na minha casa. Meu coração levava uma facada cada vez que ela pedia a Deus pra ir logo, quando ela chamava o pai de Pai horror...palavras cruéis, mas nem tanto quanto seu sofrimento e minha impotência.

No dia 15 de julho de 2016, ela se foi, eu segurando sua mão e orando. Nos primeiros dias eu chorava muito pois o vazio que ela deixou e as lembranças horríveis que me povoavam me impediam de sair daquela sintonia. Comecei a fazer terapia para ver como sair daquilo, pois o fato dela ter ido com tanto sofrimento me abalou de uma forma única, visceral e profundamente.

Me apeguei ao trabalho para fugir, mas chorava sempre. Fiquei apática, triste e desesperançosa por alguns meses, tentando achar algo que preenchesse aquele buraco no peito...

Um dia eu fiz um casal de noivinhos de bolo para uma amiga e depois um presente de biscuit para a terapeuta, assim comecei a me encantar como o biscuit. Então comecei a pesquisar sobre esta técnica e ainda inspirada pelos trabalhos e exemplos da minha mãe, resolvi fazer minhas mini esculturas utilizando esta massinha e tecidos nas roupas que confecciono para eles.

Mas o que eu quero contando uma história triste destas?

Em primeiro lugar eu quero dizer pra vocês que pra mim foi a melhor forma de mudar a sintonia, o objetivo deste meu trabalho é apenas ser feliz fazendo uma coisa que gosto.

Então eu estou dividindo esta história para que sirva de inspiração a quem busca como eu busquei uma forma de mandar a tristeza embora.

A maioria das peças não está à venda, porque as pessoas que eu decido retratar são especiais na minha vida, eu as escolhi como forma de agradecimento pelo bem que em algum momento me fizeram, alguns são artistas, músicos, filósofos, mas o que todos tem em comum é a importância em minha vida.

Todos os meus retratados tem os olhos e mãos aumentados porque são os sentidos que eu mais utilizo na minha arte, observar e fazer.

Chaplin que me emprestou seu humor por toda a minha vida, muito obrigada!!!

#biscuit #personalidades #artistas #historia #superação

Posts Recentes
Arquivo
Tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle